Arquivo da tag: Asanas

Qual é o melhor tipo de yoga para mim? por Ana Paula Linhares do Portal Yogadelic

Você decidiu praticar mas não sabe qual o melhor tipo de yoga para você. O melhor é respirar e manter a calma.          por Yogadelic em 29/06/2017

 Você decidiu praticar mas não sabe qual o melhor tipo de yoga para você. O melhor é respirar e manter a calma. Quando começamos a pesquisar e perceber que existem diversas técnicas e modalidades diferentes, é natural ficar confuso.

Aqui vão algumas dicas para quem nunca praticou e quer começar ou para quem faz yoga há pouco tempo.

 São diversas modalidades de yoga que você pode praticar.

Confira algumas delas:

 Hatha Yoga

É o estilo mais popular de yoga no Ocidente. Tem o foco na saúde do corpo, com um leve aprofundamento filosófico. O objetivo é trabalhar mente e espírito. Etimologicamente, Hatha Yoga quer dizer Yoga do SOL e da LUA, símbolo dos dois polos, pelo equilíbrio da dualidade. Tem por objetivo o aperfeiçoamento do corpo e da mente e ainda a utilização das imensas potencialidades que dormem no homem e que ele desconhece.

 Yogaterapia Integrativa ou Yoga Integrativa

Desenvolvido nos Estados Unidos por Joseph Lepage, esse método coloca a ênfase no processo da cura, trabalhando em todos os níveis do ser humano: físico, mental, emocional e espiritual.
As aulas de Yoga Integrativa abordam temas que levam a reflexão e visam inteiramente o bem do aluno. Faz um aprofundamento no Ser através do autoconhecimento e da exploração durante a prática. Segundo Joseph, a cura acontece quando estabelecemos contato com a parte mais profunda de nós mesmos.
A abordagem terapêutica desta prática é ensinar pessoas com problemas a tornarem-se mais conscientes da sua condição em todos os níveis, melhorando a qualidade de vida e usando técnicas respiratórias, exercícios adequados e meditação com foco na cura.

 Ashtanga Yoga

A respiração é o fio condutor dessa prática e liga postura a postura em uma ordem precisa. A sincronização da respiração com o movimento proporciona uma melhor circulação sanguínea e gera um fluxo de energia que aquece o corpo, purificando músculos, órgãos e eliminando toxinas através da transpiração.
O Ashtanga Vinyasa Yoga foi desenvolvido pelo mestre indiano Krishnamacharya, a partir de um antigo texto em sânscrito denominado Yoga Korunta. Pattabhi Jois, um de seus discípulos mais próximos, foi quem ajudou a disseminar o estilo ao redor do mundo.

Iyengar Yoga

O Iyengar Yoga é voltado para ajustes certeiros e alinhamento. Ajuda a desenvolver um corpo firme, uma mente estável e focada e um espírito colaborativo. Habilidades desejáveis nos dias de hoje para combater o stress e melhorar a performance em todos as áreas da vida.
Isso é possível graças ao uso de “props” (apoios) que funcionam como “professores assistentes”. São bloquinhos, almofadas, cintos, pranchas e cadeiras que auxiliam à entrada nas posturas respeitando os limites individuais ao mesmo que extraem o alinhamento e equilíbrio necessários dos praticantes.
O Iyengar Yoga é uma das várias modalidades do Yoga, fundamentada nos ensinamentos do mestre B.K.S Iyengar.

Namaste_/\_

Ana Paula Linhares é Embaixadora Devi e está a frente do Yogadelic. 

Quer saber mais sobre Yoga acompanhe também o www.yogadelic.com.br

 

Observando a natureza e aprendendo sobre os valores da vida

Observar a natureza pode nos trazer diversos ensinamentos.

O simples ato de observá-la já ajuda a frear a nossa mente quase sempre tão agitada. E ali estamos: apenas um observador, livre dos julgamentos e ritmos acelerados. Nos tornamos mais calmos, contemplativos, e assim permitimos que a mente repouse e recupere sua clareza, ficando mais fácil ver as coisas como realmente são.

Ao nos permitirmos observar, navegamos entre cores, formas, cheiros e sensações que nos nutrem e nos tornam mais gratos pelas infinitas possibilidades e partilhas que o universo nos traz. Aos poucos, ficamos mais atentos aos pequenos prazeres do dia-a-dia, que preenchem nossa vida de alegria e contentamento.

Você já parou para observar a natureza hoje? Pode ser a cor do céu, o formato das nuvens, os pássaros voando, o mar, o jardim da sua casa ou uma única árvore na cidade. Não importa a dimensão. Observar a natureza por alguns minutos ao dia pode ser surpreendentemente benéfico e te ensinar grandes valores de vida!

Juliana Labre

(Bióloga – fundadora e diretora do Projeto Serve the Birds)

www.facebook.com/projetoservethebirds

 

Juliana Labre é formada em biologia e concluiu o mestrado em ciências ambientais e florestais na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Na Universidade Federal do Rio de Janeiro obteve também o diploma de pós-graduação em meio ambiente. Desde então, vem se dedicando com muita paixão à conservação da natureza. Atualmente, é idealizadora e coordenadora do Projeto "Serve the Birds" - servindo aos pássaros, que busca promover a conservação de aves em ambiente natural e estimular, principalmente através da observação de pássaros, a conexão com a natureza e o interesse pela conservação.  

FOGO por Andrea Porto

FOGO

Sentar em volta da fogueira e ver o dançar e crepitar das chamas.
Agni, línguas de fogo dançantes que digerem alimentos, emoções;
transmutando em energia para o movimento, pensamento, realizações.
Plexo solar com energia pessoal em abundancia para viver plenamente no mundo.
Devi por Andrea Porto
Fogo que esquenta, cozinha, queima, muda a forma, transforma.
Milhões de fogueiras unidas, potencializadas para nos energizar de fora para dentro
na forma do sol do universo.
Saúdo Surya, Surya namaskar,
reverencio Agni, o fogo interior que habita o plexo solar de cada um,
irradiando de dentro para fora uma luz amarela dourada, unindo
com a radiância  solar do universo,
deixando o calor provocado pelo movimento
transformar, suar, transmutar todo o ambiente em volta, no sentido de purificar e harmonizar.
Jogando no fogo tudo aquilo que não precisamos mais, para que possamos transmutar em luz;
luz que bate na retina e permite vermos mais claramente, iluminando nossa visão.
Vendo de cima como o Sol a cidade das jóias interiores, lugar das preciosidades,
guardadas dentro do plexo solar, brilhando amarelo dourado de dentro para fora como ouro,
se fundindo com a luz do Sol do universo, como seres solares que somos.
Iluminando a cada nascer, as florestas, flores, frutos, a cada amanhecer.
Se recolhendo ao entardecer em tons amarelos, dourados, refletindo na água, na terra;
Para nascer do outro lado do mundo, neste ritmo que ocorre todos os dias a milhares de anos.
E ao anoitecer, quando vem a escuridão, volto a sentar em volta da fogueira,
vejo a luz do fogo refletida no seu olhar, iluminando nossas vidas, nossas almas,
as chamas sobem, mais alto, mais alto;
iluminando nossas vidas nossas alma.
Agnaye Swahá: ao Fogo eu entrego.
por Andrea Porto Ferreira
Andrea Porto Ferreira

Embaixadora Devi
Embaixadora Devi
Embaixadora Devi
Andrea Porto Ferreira trabalha com a educação do movimento humano há 32 anos e atualmente dirige o Yogashala.

 Formou-se em Educação Física pela UFSC. Esteve na China onde completou seus estudos em Qigong, pelo Instituto Internacional de Medicina Chinesa. Morou nos EUA onde fez sua formação de Yoga no Kripalu Center for Yoga and Health, se formou em Dinâmica Espacial pelo Spatial Dynamics Institute e fez mestrado em Pedagogia Waldorf na Antioche New England Graduate School, se especializando nos três primeiros anos de vida.

 Ministrou aula de Yoga nos Estados Unidos em hospitais, clubes e universidades, foi docente no Departamento de Saúde do Middlex Comunity College onde ministrou a disciplina Anatomia e Fisiologia do Yoga. Leva grupos à Índia para viagem de cultura e conhecimento.

 Ministra aulas de yoga no Yogashala a mais de 15 anos, onde atualmente ocupa o cargo de diretora da escola. 

www.yogashala.com.br

IMPRESSÕES SOBRE A PRÁTICA DE ÁSANAS por Tatiane Fernandes

             A filosofia do yoga vem sendo cada vez mais disseminada no ocidente como um instrumento para amenizar o dia-a-dia estressante do estilo de vida contemporâneo e também como um caminho de estudo e desenvolvimento espiritual. Apesar de ser uma filosofia que se originou na Índia há mais de 5 mil anos, hoje ela tem ampla difusão por meio de suas “formas” e posturas bonitas que fascinam o ocidente.

          A maioria dos ocidentais iniciam o contato com o yoga através da prática de ásanas, e começam a compreender esta filosofia a partir das mudanças que acontecem no corpo físico. Não que isso seja ruim, porém o yoga possui outros aspectos que também podem ser trabalhados nos primeiros contatos, como a meditação, os pranayamas, os estudos da sua filosofia e etc. O que devemos entender é que o yoga incorpora outras possibilidades de experiências além dos ásanas. Com o tempo de prática e estudos, vamos internalizando tais aspectos no nosso comportamento, na nossa saúde, na relação com os demais, no autoestudo e aos poucos vamos nos sentindo mais completos neste caminho.

         É muito comum a sensação de estranhamento e limitação nas primeiras aulas de yoga, já que são movimentos incomuns ao cotidiano. A vontade de realizar tais posturas é tamanha que o foco torna-se maior na “forma” e menor no processo, ultrapassando limites físicos ao sacrificar o corpo e a respiração para chegar na “postura final”. Segundo IYENGAR, “…ásana quer dizer postura, que é a arte de posicionar o corpo todo com uma certa atitude física, mental e espiritual” (2001, p. 94), portanto é necessário conectar corpo e mente e, deixar a ansiedade de lado para aproveitar o processo ao trazer presença e concentração na prática.

          Aceitar o limite do seu corpo e entender até onde é possível seguir na postura, respeitando sua respiração, os bandhas e os drishts é a melhor forma de trazer constância e continuidade na prática rumo a transformação interior. É bem provável que o aluno irá se deparar com seus padrões de comportamento, comparação com os demais colegas, assim como o apego ao resultado final da postura, porém tais fatores só aumentam o desequilíbrio do praticante. “A prática pode nos mostrar como desapegar-nos de nossas expectativas de que a vida deve desdobrar-se de um jeito específico” (VOLLMER, p. 65).

             Cada corpo possui uma história, um tempo e um processo, é fundamental respeitar essas características e trabalhar com paciência a prática física, mental e espiritual, para assim evitar futuras lesões geradas por tais influências.

            Devemos entender que o objetivo da prática não é ficar mais flexivel ou forte, no entanto, quando há foco e objetivo claros, tais benefícios surgirão como um resultado natural e fará o praticante sentir bem-estar, equilíbrio e saúde no organismo. “Quando o seu corpo, a sua mente e a sua alma estão sadios e em harmonia, você proporciona saúde e harmonia aos que estão à sua volta e ao mundo, não se alienando, mas sim, sendo um órgão vivo e sadio do corpo da humanidade” (IYENGAR, 2001, p. 39). Portanto esteja conectado, consciente e presente durante sua prática.

          Com o coração aberto e mente relaxada, em pouco tempo é possível perceber as transformações mais densas, seja no alinhamento do seu corpo, em alguma parte que tornou-se mais flexível ou solta, no equilíbro ou mesmo no seu estado de espírito. Ao manter a prática fluida, e a consciência no momento presente, você irá perceber o seu corpo forte e equilibrado e se sentir energeticamente bem e saudável.

          Uma prática de ásanas diária, naturalmente se expande para outras dimensões do yoga, como os yamas, nyamas, pranayamas, pratyahara, dharana, dhyana, samadhi e a partir desse pontos inicia-se um trabalho do yogui no caminho da sua essência.

          A beleza, sutileza e leveza do yoga se constrói com a prática diária, com muita dedicação e disciplina. Praticar ásanas dariamente é uma grande oportunidade de autoconhecimento e observação, levando para a vida quebras de padrões de comportamentos que conseguimos trabalhar no tapetinho, seja diante da dor ou do amor!

Tatiane Fernandes

Teve seu primeiro contato com o Yoga em 1996. Desde 2007 está a frente de Shanti Yoga Studio em Campo Grande - MS.

http://www.shantiyogastudio.com.br/

Um espaço bonito, agradável e bem preparado para usufruir com plenitude das diversas possibilidades que existem no Yoga. 

Onde oferece práticas de Yoga, Terapias, Cursos de Formação entre outras atividades e Eventos.

BIBLIOGRAFIA

IYENGAR, B. K. S. A árvore do ioga. São Paulo: Globo, 2001.

JOIS, S. K. P. Yoga Mala. Nova Iorque: North Point Press, 2002.

MIELE, L. Ashtanga Yoga. São Paulo: Blocker Comercial LTDA, 2009.

VOLLMER, M. Ásana e Lesões em Ashtanga Yoga.